Observatório da Jihad


29.11.06

Soheib Bencheikh: um muçulmano reformista

«O islão deve ser criticado da mesma forma que o cristianismo também o foi durante as Luzes; o islão é uma mensagem para toda a humanidade – portanto, não pode ser propriedade exclusiva dos muçulmanos».

Quem profere estas palavras é o Dr. Soheib Bencheikh que nasceu em Jeddah, na Arábia Saudita em 1961, estudou teologia islâmica na Universidade de Al-Azhar e doutorou-se na parisiense e prestigiada École Pratique des Hautes Etudes (EPHE).
Antigo mufti de Marselha (França) foi membro do Conselho Francês do Culto Muçulmano e director do Instituto Superior de Ciências Islâmicas.
Recentemente informou que se candidataria às eleições presidenciais de Abril de 2007 tendo para isso criado um
website. Os seus apoiantes mantêm um blogue onde podemos ler várias entrevistas concedidas por Soheib Bencheikh à imprensa e também vários links para outros sites muçulmanos reformistas.
Bencheikh acredita que o secularismo, como o francês, é uma condição pré-necessária para a reforma do islão e apela à participação dos muçulmanos e não-muçulmanos na crítica ao islão, na reinterpretação dos textos sagrados, no combate ao fundamentalismo e na ajuda à adaptação do islão à era moderna.

«Ou o islão acerta o passo com o século ou ficará à margem da sociedade moderna. O islão não tem futuro sem a laicidade».

1 Comments:

At 10:37, Blogger pianola / Sonia R. said...

Sida, 25 anos depois. Bom dia.

 

Enviar um comentário

<< Home