Observatório da Jihad


18.10.06

Ainda o caso Redeker

A polícia francesa anunciou ontem que deteve um jovem de 29 anos, operador de call center, por ter enviado um mail com ameaças de morte ao a Robert Redeker. Segundo a Reuteus, citando fontes policiais, o jovem não pertence a nenhum grupo terrorista e agiu motivado pela sua fé islâmica.
Se a simples pertença à religião muçulmana leva um jovem a ameaçar de morte um livre pensador - porque na sua cabeça Redeker insultou o Profeta e o Islão o que, na lei islâmica é uma ofensa de morte - isso deve aumentar a nossa precaução em relação à islamização das sociedades ocidentais e deita por terra o mito oficial da «religião da paz e da tolerância».

13 Comments:

At 12:26, Blogger RS said...

Engraçado.
Ontem, na TV5, passou o programa Mots Croisés da France 2, conduzido por Yves Calvi, com o tema "O Islão face à crítica".
Pena não o teres visto.
Um painel de jornalistas, políticos, artistas, professores, alguns de ascendência árabe, demonstraram que há vida para além da xenofobia. Redeker incluído.
Tenho a parte final gravada, em que Caroline Fourest, jornalista do Charlie Hebdo (que reproduziu as caricaturas dinamarquesas), afirma que Jean-Marc Roubaud, também presente (autor da proposta de lei que pretende proibir a blasfémia), a assusta mais que os islamitas.
Moral da história: a paranóia nunca levou a lado algum. Os que pretendem regular o bom senso por decreto de lei são iguais aos que pretendem que a lei regule a forma de expressão individual. E quem se fica a rir, no fim, são os extremistas (todos, não apenas os islâmicos).

"Telefonema com ameaça de morte deita por terra o Islão como religião de paz" faz tanto sentido como "Jesus Camp, nos EUA, deita por terra o Cristianismo como religião de paz".
Puro xenofobismo.

(Ainda não foi desta que o O.J. foi riscado - mas andou bem perto)

:)
RS

 
At 14:33, Blogger Sliver said...

Quem se queixa bastante (não em exclusividade) das blasfémias são os muçulmanos (e neste ponto concreto não digo islamistas, nem radicais). Essa lei a ser adoptada é um passo atrás nas liberdades individuais e eles serão os grandes beneficiados Folgo que cite Catherine Fourrest. É autora de uma das melhores obras de denúncia das actividades da Irmandade Muçulmana, na Europa.

 
At 17:27, Blogger RS said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

 
At 17:28, Blogger RS said...

Trata-se de Caroline Fourest, jornalista do Charlie Hebdo, não de Catherine Fourrest (que não estou a ver quem é), e a sua análise é bem mais aberta do que se poderia supor ao ler o que escreves sobre ela. Mas já com os canadianos se percebeu onde vai o O.J. e como filtra a informação que transmite.

(A não ser que te refiras à tal Catherine)

;)
RS

 
At 17:40, Blogger RS said...

Resposta de Caroline Fourest (autora de "Frère Tariq") à difamação de Tariq Ramadan no l'Hebdo, a propósito desse livro.

Muito a propósito, também m. Ramadan troca o apelido de Caroline por Catherine. Será que...
De todo o modo, penso que Caroline nunca seria uma defensora das ideias que passam no O.J. a maior parte das vezes. E sobretudo depois desta, que lhe diz respeito.

:)
RS

 
At 17:46, Blogger RS said...

Talvez seja melhor retirar o "Frère Tariq" da lista do O.J., não? Ou, se calhar, passar a ler primeiro e a propor depois.
(Na capa, aliás, vê-se bem o nome de Caroline - a minha referência a ela, no "Mots Croisés", não era inocente.)

(just a thought)

;)
RS

 
At 17:52, Anonymous Anónimo said...

"Moral da história: a paranóia nunca levou a lado algum."

Isto vindo do RS é hilariante!

 
At 18:00, Blogger Sliver said...

Catherine é evidentemente um engano. O livro da Caroline está linkado no OdJ, coluna da direita.

 
At 18:48, Blogger Sliver said...

Para terminar, RS aparenta não ter lido o obra, faz suposições pela autora e manda-me ler o livro que já li. Pelo caminho diz que eu filto o site do MCC quando chamo a atenção para os textos de abertura do mesmo, onde estes muçulmanos denunciam as ameaças de morte que lhes são dirigidas pelos seus correligionários. Claro que o RS foi encontrar uma notícia antiga e essa é que conta. O resto não lhe interessa. Não foi surpresa, já sabia que era assim depois de ler o que ele escreveu sobre Oriana Falacci. O RS só lê as coisas pela metade e é intelectualmente desonesto. Sendo assim, estamos conversados. Hoje abri uma excepção, mas agora RIP. Pode continuar a escrevinhar aqui ou voltar para a teoria conspiratória do seu blogue. É-me indiferente, não o lerei em lado algum.

 
At 20:03, Anonymous Anónimo said...

Olha quem fala de desonestidade intelectual... Ainda estou a espera que diga quem falsificou a carta de MLK.

 
At 20:22, Blogger RS said...

Quando uma das partes se levanta e sai, de nada serve permanecer à mesa, mas antes de sair, por meu turno, duas coisas:

1. A resposta de Caroline a Tariq é esclarecedora da índole da rapariga, nada alinhada pela manifestada no O.J. - mas uma capa vale por mil palavras, não é? E não disse que conhecia o livro, apenas que conhecia a autora.

2. As ameaças aos membros do MCC não me são indiferentes (segundo me recordo, na altura até concordou comigo "em absoluto", agora já não concorda), e a notícia para a qual chamei a atenção, e que também demonstra que o MCC dispensa bem as ajudas do O.J., é tão "antiga" quanto 10 de Setembro de 2006 (arcaica, portanto).

Quanto a desonestidades intelectuais, estamos conversados.

Com licença.
:)
RS
(Slam)

 
At 20:42, Anonymous Anónimo said...

"Com licença.
:)
RS
(Slam)"

O ar tornou-se mais respirável...

 
At 09:32, Anonymous Anónimo said...

Sofre anónimo de 20:42 com as mentiras que consideras verdades...

 

Enviar um comentário

<< Home