Observatório da Jihad


15.2.07

Apoio ao terrorismo em Portugal

Um director-adjunto da Polícia Judiciária (PJ) disse esta quinta-feira que Portugal poderá estar a ser utilizado para actividades de apoio ao terrorismo internacional «a coberto de outras actividades legítimas e credíveis».
Teófilo Santiago, responsável da Direcção Central de Combate ao Banditismo (DCCB), admitiu que estas actividades desenvolvidas por algumas organizações não-governamentais (ONG) de «matriz islâmica» estão «referenciadas internacionalmente como passíveis de actividades de cobertura de activistas mais radicais».
O responsável policial falava durante a Conferência Globalização e Segurança, a decorrer em Portimão e organizada pela associação sindical da PJ (ASFIC) e câmara local.
«A ameaça extremista islâmica não será tão relevante em Portugal, porquanto a comunidade islâmica residente em Portugal, os seus crentes, relações económicas e sociais entre Portugal e o mundo islâmico estão longe de constituir um factor problemático», realçou.
Teófilo Santiago diz que a ameaça «mais credível» que pende sobre Portugal, de acordo com as informações recolhidas pelas forças e serviços de segurança, «pauta-se por actividade de baixa intensidade ocasionalmente ligadas directa ou indirectamente a redes de terrorismo».
Como exemplos, apontou a falsificação e contrafacção de documentos de identidade e cartões de crédito, auxílio à imigração ilegal do Espaço da União Europeia através de casamentos de oportunidade, fraude em telecomunicações e actividades relativas ao micro-financiamento.
Estas actividades criminosas, apesar de não serem muito significativas, mostram sinais de que «alguns dos seus autores o façam integrados numa rede de apoio logístico mais alargada».

Teófilo Santiago acrescentou ainda que se realizam semanalmente reuniões entre o Serviço de Informações de Segura (SIS) e a PJ porque, segundo disse, é mais eficaz vigiar do que punir, revelando ainda que a DCCB tem desenvolvido unidades especializadas exclusivamente dedicadas à «recolha, análise e tratamento da informação e à investigação do fenómeno do terrorismo».
As autoridades nacionais estão particularmente atentas a países como a Espanha, França e Reino Unido, onde existem grandes comunidades islâmicas, mantendo estreita colaboração com as autoridades daqueles países.
O Algarve, devido à sua forte componente turística, surge como uma das regiões mais prováveis do país para vir a ser alvo da acção de grupos terroristas, advertiu.

75 Comments:

At 00:17, Anonymous Anónimo said...

Quem ler alguma coisa do que os alcaidstas e os próximos deles, escrevem e comentam na net, vê perfeitamente que eles andam a auto-mentalizarem-se e a mentalizarem mais muçulmanos, para justificarem e fazerem crimes.
Se a sociedade deixar andar as coisas, é só uma questão de tempo até fazerem o mesmo ou pior do que fizeram noutros países.
Parece que bebem e comem todo o veneno que existe na direita, na esquerda, no centro, em cima, em baixo, no presente, no passado, em toda a parte, lugar e tempo, para justificarem pensamentos e acções conflituosas.

 
At 21:14, Blogger Range-o-dente said...

Ouvi hoje, num programa sobre ciência da RDP, que em França, clérigos muçulmanos teriam lançado uma fatwa sobre o Pokemon (desenhos animados) porque o boneco seria de inspiração darwiniana - herege, portanto.

 
At 23:43, Anonymous Anónimo said...

Não é de admirar.
No tempo de Voltaire, o chefe religioso otomano, lançou uma coisa dessas, não apenas contra um livro, uma obra ou um autor, mas contra as impressoras, pois eram elas que possibilitavam que os livros fossem impressos e lidos por muita gente.

 
At 20:55, Anonymous Anónimo said...

Vá, dá uma olhada neste link

http://www.iranian.com/Anyway/2007/February/sahih.html

 
At 09:37, Blogger Adryka said...

Essa é forte de mais, mas confesso que nada me admira, neste povo de Maria vai com as outras!...
Bj

 
At 18:31, Anonymous Anónimo said...

The Association of Iranian Blog-writers (Penlog) condemns the continuation of Ahmad Batebi's arrest
The Association of Iranian Blog-writers (Penlog) condemns the continuation of Ahmad Batebi's arrest and demands his immediate release from the care of the prison’s authorities to receive immediate and adequate medical treatment.

According to the latest reports, Ahmad Batebi’s condition has drastically deteriorated because of the torture and mistreatment he has received, whilst in prison, and since his re-arrest several months ago.

He is reported to have suffered a stroke and been in a coma for several hours. According to reports, he is presently at the inadequate and ill-equipped Shohada hospital in North of Tehran. The authorities have so far refused to transfer him to a better hospital for proper and adequate treatment.

Last year two Iranian prisoners of conscience, Akbar Mohamadi and Valiullah Feiz-Mahdavi died as the result of the tortures and mistreatments they received whilst in the care of the Islamic Republic’s prison authorities.

We appeal to the international community, all the human rights organisations and activists to take notice of the plight of the Iranian prisoners of conscience and to take action for the release of Ahmad Batebi.

We appeal to the human rights organisations of the United Nations and the European Union to take further notice of the systematic violation of human rights in Iran. We demand that the continuation of the Islamic Republic’s membership of the United Nation must be on the condition that the Islamic Republic respects all the human rights of the Iranian people according to the United Nation’s International Convention on Human Rights.

The Association of Iranian Blog-writers
Penlog

 
At 23:00, Blogger Diogo said...

As autoridades nacionais estão particularmente atentas a países como os Estados Unidos que continuam a sua actividade terrorista de transporte de indivíduos (os célebres voos da CIA) para campos de concentração.

 
At 18:12, Blogger JV said...

Sliver;

Tenho pena que não blogue há já algum tempo. Quando regressar, pedia-lhe que visse este video.

 
At 18:29, Anonymous Anónimo said...

O Sliver já postou sobre esse video no dia 30-1-2007. Ver mais em baixo nesse dia.
Hoje há mais esta novidade:
http://www.portugaldiario.iol.pt/noticia.php?id=778077&div_id=291
"O Reino Unido enfrenta actualmente a maior ameaça terrorista desde os atentados de 11 de Setembro de 2001..."

 
At 16:13, Anonymous Anónimo said...

O diogo é brilhante.
A nossa ameaça vem dos EUA.
Essa histáoria do Irão ér manipulada.
Terrorista é o Bush e a CIA.
Devíamos ter bases iranianas e não americanas.

 
At 17:02, Anonymous Anónimo said...

Para entender melhor o islã.
http://www.deolhonamidia.org.br/Publicacoes/mostraPublicacao.asp?tID=324

 
At 17:51, Anonymous Anónimo said...

Ora esta não há nada para entender o homem é fascista e é só, ele até mata os próprios conterrâneos .
Neste link vão descobrir muita coisa.

http://www.meydaan.com/English/Default.aspx

 
At 18:24, Anonymous Anónimo said...

Sabe da última?
Mickel Jacksons virou muçulmano.
Já viu esta...
E o porque de ele se tornar muçulmano...
;-)

 
At 18:40, Anonymous Anónimo said...

http://youtube.com/watch?v=A4Moo9IKrWA

 
At 22:33, Anonymous Red Giant said...

Como é, meteu férias?! Regresse lá. É que isto assim fica sem piada!

 
At 17:17, Anonymous lpedromachado said...

Este blogue está parado? Porquê? Passou-se alguma coisa? Algum ataque jihadista? :-)

 
At 00:37, Anonymous Anónimo said...

Site em Inglês que analisa o Alcorão.
http://atheism.about.com/gi/dynamic/offsite.htm?site=http%3A%2F%2Fmembers.aol.com%2FAlHaqq4u%2F

 
At 00:40, Anonymous Anónimo said...

Site brasileiro sobre o Islamismo e toda esta temática.
http://liberacao.wordpress.com

 
At 06:43, Blogger Don said...

Hail Hitlaa!
Do not stop foghting those moslems and foreigners! Use Zyklon B, it was aldready well tested.

 
At 10:36, Anonymous Anónimo said...

Está com falta de material??? olha neste link!!!
http://www.iranpressnews.com/english/

 
At 10:38, Anonymous Anónimo said...

http://www.youtube.com/watch?v=vVbGUw2Wwn8

 
At 19:27, Anonymous Abdullah said...

Ó Diogo, como és tótó, consulta o artº 83º do Código Penal do Irão:a mulher k tiver relações sexuais antes ou fora do casamento é enterrada até ao pescoço e morta à pedrada(com pedras pequenas para demorar várias horas).
Há dias andaram vários nomes na net.
Já imaginaste a tua namorada, ou mãe ou irmã com uma morte destas?????

 
At 19:32, Anonymous abdullah said...

Ó Diogo, como és tótó, vai ler o artº 83º do Código Penal do Irão, que manda enterrar até ao pescoço e matar à pedrada(com pedras pequenas para durar muito tempo)as mulheres k tiverem relações sexuais antes ou fora do casamento.
Já imaginaste a tua namorada, ou irmã, ou mãe a morrer assim?????

 
At 00:11, Blogger Diogo said...

O Teófilo Santiago já explicou como é que caíram as três torres do WTC, como é que quatro aviões foram sequestrados durante tanto tempo nos céus da maior potência militar do planeta e como é que o buraco do Pentágono não consegue albergar nem uma avioneta?

E que tal se o Teófilo em vez de estar de olho nos árabes tomasse um aditivo para o intelecto.

 
At 00:26, Blogger Diogo said...

abdullah said... : Já imaginaste a tua namorada, ou irmã, ou mãe a morrer assim?????

Não tenho namorada (casei-me), nem irmã, nem mãe (já não, infelizmente). Mas se tivesse nem quero pensar em imaginá-las num edifício a cair pelo efeito de demolição controlada. Vejo-me perfeitamente a matar à pedrada os responsáveis pela implosão. Até parece que estou a ver o Cheney a espichar pelo nariz a merda que lhe corre nas veias.

 
At 13:29, Anonymous Anónimo said...

Então ó homem livre chamado Diogo dê uma olhada neste link, talvez queira ver a sua mulher no lugar destas bravas e corajosas mulheres iranianas, presas e sob tortura dos carrascos do regime islâmico do Irão.
http://www.hrw.org/photos/2007/iran03/index.html

 
At 15:47, Blogger Range-o-dente said...

Uuuuu.

Que aconteceu ao Silver?

.

 
At 10:37, Anonymous Anónimo said...

Deve ter ido à guerra contra terrorismo.

 
At 18:27, Anonymous Anónimo said...

Quando volta com mais informações? Se está doente desejo-lhe as melhoras.

 
At 09:30, Anonymous Anónimo said...

Já viu bobo,
O presidente da Câmara de Beverly Hills é iraniano!!!
Não sabia, pois não?

 
At 18:37, Anonymous Xerxes said...

http://legofish.com/weblog/
http://300themovie.info/

 
At 17:18, Anonymous preocupado said...

Onde está o Sliver?

 
At 20:20, Anonymous ABDULLAH said...

Ó Diogo, olha bem pela tua mulher...
Essa do 11/setembro ser obra dos EUA é suficiente para saber que tipo de mentalidade tens!!!
E nem uma palavra disseste sofre a lapidação de mulheres.
És pior que o Hitler.
Mas o Bush acaba convosco!!!

 
At 13:28, Anonymous Anónimo said...

Sliver kaput kaboom eh eh eh...

 
At 19:45, Anonymous Anónimo said...

Anônimo disse...

" Sliver kaput kaboom eh eh eh. "

Ou tens informações para afirmares isso, ou estás a fazer o mesmo que o mafoma fez, a inventar.

 
At 21:05, Anonymous Anónimo said...

Talvez a Mossad eliminou o Sliver... ou foi o destino?

 
At 22:00, Anonymous Anónimo said...

observatorio da perseguiçao (do catolicismo)

 
At 22:24, Anonymous lpedromachado said...

O Silver não dá sinal de vida!!! Problemas com os terroristas?!

 
At 13:14, Anonymous Anónimo said...

Que se passa com o Sliver? Os abdulalas eliminaram-no?

 
At 14:22, Anonymous Anónimo said...

Observatorio hackeado?

 
At 18:08, Anonymous Anónimo said...

Nem um comentário sobre os marinheiros ingleses!!!
Nem sobre nada!!!
Sliver deve estar com algum problema gente, eu aqui estou a ficar preocupado ou preocupada???
:-)

 
At 10:00, Anonymous Anónimo said...

o anónimo de 18:08 não sabe se é homem ou mulher. Um pouco como Sliver era com as suas tendências de querer vestir o "chador" como aparecia aqui muitas vêzes... :D :D :D

 
At 16:27, Anonymous Anónimo said...

Alquimia da islamização

Olavo de Carvalho
Diário do Comércio, 21 de novembro de 2005



Um vício generalizado da nossa época é o abuso das figuras de linguagem. Abuso não quer dizer uso excessivo, mas uso errado. Figuras de linguagem existem para três finalidades: expressar de maneira compacta um aglomerado de significações, enfatizar no objeto um valor ou nuance que o seu simples conceito não enuncia, dar voz à primeira impressão de um objeto ainda mal apreendido, na esperança de que esse artifício provisório ajude a apreendê-lo melhor. O primeiro desses usos é poético, o segundo retórico, o terceiro dialético ou propriamente filosófico. Em cada um deles as relações entre o objeto apreendido e sua expressão verbal formam uma equação diferente. Em todos o emissor do discurso tem o domínio consciente da equação. A prova disto obtém-se pela análise que torna claro o que parecia obscuro: o aglomerado poético pode ser decomposto nas suas várias camadas de significado (se não pode, então não é poesia, é macumba); a qualidade retoricamente acentuada pode ser distinguida do objeto que a ostenta; a primeira impressão pode ser completada por impressões subseqüentes, expressas em outras tantas figuras de linguagem, até que da confluência das várias impressões e respectivas figuras surja, numa síntese intuitiva, a forma essencial do objeto visado.

A figura de linguagem é usada de maneira abusiva quando não serve para nenhuma dessas operações. As palavras não expressam então nem uma riqueza de significações simultâneas, nem uma ênfase valorativa consciente, nem um esforço de chegar à realidade através do véu do discurso. Expressam a paralisia do pensamento que, não sabendo resolver a equação, isto é, passar do discurso à percepção intuitiva por meio da análise, se detém na repetição hipnótica do discurso mesmo, fazendo dele um substitutivo da realidade.

Se tantos intelectuais europeus não tivessem se habituado a pensar assim -- se é que isso ainda é pensar --, jamais teria surgido uma escola como o desconstrucionismo, que nega a realidade em nome do discurso. O desconstrucionismo não é uma análise filosófica: é a simples transposição metalingüistica da própria patologia verbal que o alimenta. Mais ou menos como aquelas especulações complexíssimas, intermináveis e desesperadoramente fúteis com que um esquizofrênico letrado, acreditando analisar seus sintomas, não faz senão produzir alguns novos – ou, pior ainda, um upgrade dos anteriores.

A doença, surgida na Europa, chegou até a América e, aqui, fez vítimas nos lugares mais inesperados. A metonímia – ou mais precisamente metalepse -- "guerra contra o terrorismo", que algum iluminado soprou para dentro da cabeça do presidente Bush, prova que conservadores americanos são capazes de pensar tão esplendidamente mal quanto qualquer maoísta do Quartier Latin. Guerra contra o terrorismo é guerra contra quem? Terrorismo não é o nome de um inimigo, mas de uma de suas formas de ação. Adotaram essa expressão desastrada por dois motivos. Primeiro, por covardia: não queriam dizer "islamismo" para não ser politicamente incorretos, nem "marxismo" para não parecer "nostálgicos da Guerra Fria", nem muito menos "islamomarxismo" ou "marxo-islamismo" (nomes horríveis, mas tecnicamente apropriados, descrevendo com exatidão os elementos do composto) porque os exporia à rotulagem fácil de "teóricos da conspiração". O segundo motivo, derivado do primeiro, é a pseudo-esperteza de usar um chavão publicitário em vez do nome da coisa. É fácil ser contra o "terrorismo" porque é um meio de ação hediondo, só aceitável naquele estado alterado de consciência que revela, precisamente, o "fanático". Como ninguém quer ser carimbado de fanático, todo mundo adere, pelo menos da boca para fora, à "guerra contra o terrorismo". E tão reconfortados se sentem ao ver que concordaram em lutar, que já nem ligam de continuar sem saber contra quem. Só que, sendo impossível combater por meios invariavelmente lícitos um inimigo tão protéico e evanescente, alguma violência com aparência de terrorismo todo mundo está sujeito a cometer a qualquer momento, e no instante seguinte estarão todos, em nome da concórdia, se acusando uns aos outros de terroristas. Toda a chamada "ordem internacional" baseia-se, hoje, nessa absurdidade completa. E desta nascem muitas outras.

Os franceses, por exemplo, ficaram contentíssimos com a fatwa – decreto inspirado – com que a autoridade religiosa islâmica amorteceu em cinco minutos a baderna ante a qual o governo tivera de se contentar com gesticulações impotentes adornadas de palavreado pomposo. Nem de longe percebem que refrear as manifestações é demonstração de força ainda mais eloqüente do que produzi-las. Se os jovens muçulmanos rebelados se mostraram capazes de criar em poucos dias mais confusão e terror do que os meninos enragés de 1968, um único mufti , com umas poucas linhas escritas, provou ter mais autoridade do que o governo, a polícia, a mídia e a opinião pública da França, todos somados. Criar o caos, qualquer bando de irresponsáveis pode, com um pouco de ousadia. Mas produzir o caos e em seguida transfigurá-lo em ordem é o máximo de controle que seres humanos podem ter sobre o fluxo dos acontecimentos. É a arte da transformação, como em alquimia: Solve et coagula . Primeiro a substância deve ser dissolvida e transformada numa pasta caótica pela ação corrosiva do "mercúrio" (entre aspas porque não corresponde ao mercúrio químico; designa a força dissolvente e desorganizante em geral). Quando está no ponto, joga-se nela o "enxofre", que a cristaliza, produzindo o "sal" – a nova ordenação interna desejada. Há séculos – documentadamente, pelo menos desde Ibn Khaldun (1332 - 1406) -- os muçulmanos sabem que esses símbolos alquímicos podem designar também forças histórico-culturais, cujo manejo sutil está então ao alcance de uma ciência política infinitamente mais fina do que aquilo que leva esse nome nas universidades ocidentais. A dialética de Hegel e Marx é uma caricatura de alquimia política em linguagem pedante. A superioridade intelectual dos muçulmanos, nesse ponto, é arrasadora (leiam Henry Corbin e Seyyed Hossein Nasr), e é nela – não na pura brutalidade do terrorismo, ou na força passiva da multiplicação genética -- que reside o segredo da expansão islâmica. Por isso é que, por trás de sua aparência de imigrantes bárbaros, os muçulmanos têm manipulado os Estados ocidentais com a facilidade de quem tapeia crianças. Querem um exemplo?

Com o apoio da British Advertisings Standards Authority, desde janeiro de 2005 os muçulmanos ingleses lançaram uma campanha para proibir outdoors que, pela exibição ou insinuação de nudez, fira os seus sentimentos religiosos. O Canadá foi um pouco além: está discutindo seriamente, por sugestão de um ex-procurador geral, a hipótese de adotar a shari'a (conjunto de mandamentos corânicos) como lei reguladora para os residentes muçulmanos, que assim teriam direitos e deveres diferentes daqueles que pesam sobre o restante da população (com a conseqüência inevitável de que, com o crescimento demográfico desproporcional, logo a shari'a dominará todo o Canadá). Nos EUA, inúmeras escolas oficiais – notem bem: oficiais – punem qualquer crítica ao Islam submetendo o faltoso a um estágio obrigatório de "reeducação da sensibilidade", que inclui horas e mais horas de recitações do Corão e audição de pregações islâmicas.

Ou seja: uma comunidade carente, que chegou anteontem trazendo nada mais que sua miséria e seu ódio ao país hospedeiro, em pouco tempo conquista direitos especiais e uma posição privilegiada na sociedade, e sua religião é tratada com a deferência devida a uma prima-dona autoritária e ranheta.

Enquanto isso, o que se passa com a religião local, cujos santos e mártires, mediante sofrimentos e trabalhos indescritíveis, criaram a civilização e a cultura desses Estados e lhes ensinaram os primeiros princípios da moralidade que fundamentam suas leis?

Em várias cidades da Europa e dos EUA, a exibição pública de um crucifixo é banida por lei como atentatória aos direitos dos ateus; o professor ou aluno que entre numa escola oficial portando uma Bíblia corre o risco de ser suspenso ou expulso; a prece em voz alta é vetada em certos edifícios estatais, os festejos de Natal são proibidos nas praças públicas, e inscrições com os Dez Mandamentos são arrancadas por iniciativa da autoridade ciosa de não ferir os sentimentos politicamente corretos.

Não vou me prolongar na descrição do estado de coisas. Digo apenas que é aviltante e criminoso. Quem quiser saber mais – e tiver estômago para isso – que leia "Persecution", de David Limbaugh (Harper Collins), "The Criminalization of Christianity", de Janet L. Folger (Multnomah Publishers), "The ACLU Versus America", de Alan Sears e Craig Osten (Broadman & Holman) ou simplesmente acompanhe as notícias diárias sobre anticristianismo militante no site www.wnd.com .

A religião declaradamente inimiga do Ocidente (v. "The West's Last Chance. Will We Win The Clash of Civilizations?", de Tony Blankley, Regnery, 2005) é tratada nos países ocidentais como se fosse senhora do espaço inteiro, enquanto as religiões-mães da nossa civilização, judaísmo e cristianismo, são escorraçadas como cães sarnentos, por iniciativa das próprias autoridades governamentais que, por outro lado, se dizem em "guerra contra o terrorismo islâmico".

Cada vez mais a posição da religião cristã e judaica no Ocidente, principalmente na Europa e nos Estados americanos governados pela esquerda, se torna a mesma que têm nas ditaduras islâmicas -- como por exemplo o Irã, onde todo culto não-muçulmano só pode ser praticado em recinto fechado, sendo proibida toda pregação pública, distribuição de livros, etc. – ao mesmo tempo que o Islam se coroa dos direitos e privilégios de uma religião hegemônica.

Mas, partindo daquela premissa inicial incongruente, muitas análises da situação, correntes na mídia e nos meios universitários, conseguem inverter os termos do problema, seja por maquiavelismo cínico, seja por ignorância:

"A batalha subjacente (à luta contra o terrorismo) será entre a civilização moderna e os fanáticos antimodernistas; entre aqueles que acreditam no primado dos indivíduos e os que acreditam que os seres humanos devem obediência cega a uma autoridade mais alta; entre os que dão prioridade à vida neste mundo e aqueles que acreditam que a vida humana não é senão a preparação para uma existência além da vida..."

Quem escreveu isso foi o ex-secretário do Trabalho do governo Bill Clinton, que se gaba de ser um grande "analista simbólico" das mudanças civilizacionais. Movido por seu ódio à "direita religiosa" americana, ele descreve um campo mundial dividido entre "fundamentalistas" ou "transcendentalistas", como George W. Bush e Bin Laden, e "modernistas" ou "laicistas" como ele próprio, e conclui: "O terrorismo rompe e destrói vidas. Mas o terrorismo não é o único perigo que enfrentamos."

Não é. O "perigo que enfrentamos" são inscrições dos Dez Mandamentos, são crianças cristãs cantando canções de Natal, são padres, pastores e rabinos recitando Salmos, são famílias religiosas que não aceitam o casamento gay e o abortismo em massa, é, enfim, tudo aquilo que se opõe à ética materialista, atéia e politicamente correta.

Só há um problema: essa ética é que, em nome do "multiculturalismo", concede direitos especiais à minoria muçulmana enquanto sufoca tradições ocidentais milenares. Como poderia então ser ela a grande inimiga do radicalismo islâmico? Ela é o instrumento mesmo de que este se serve para debilitar a cultura da Europa e da América e subjugá-la ao seu ímpeto revolucionário e destruidor.

E não há nisso nenhuma estranha coincidência. A origem dessas modas culturais é bem conhecida: remonta, através de uma cadeia de intermediários fiéis, à Escola de Frankfurt e ao filósofo húngaro George Lukacs. Elas são o chamado "marxismo cultural" em estado puro – a arma mortífera concebida dentro do próprio Ocidente para destruir sua civilização.

Impressionados com o fracasso da revolução socialista na Europa Ocidental no começo do século XX, e especialmente com a defecção geral dos proletários que foi a sua causa imediata, os frankfurtianos e Lukacs começaram a especular se, além da resistência político-militar da "burguesia", não haveria outro fator, como direi, astravancându us pogréssio do çossializmu. Chegaram à conclusão de que havia: eram milênios de herança judaico-cristã, o universo simbólico inteiro da civilização Ocidental. "Quem nos livrará da civilização Ocidental?", perguntava Lukacs.

A resposta não demorou a vir de Moscou. Stalin, transferindo para as nações a teoria da luta de classes, dividiu o mundo em Estados proletários e Estados burgueses. Os primeiros estavam, evidentemente, no chamado "Terceiro Mundo". A ideologia do terceiromundismo começou a nascer aí, entre as duas guerras, com o intuito de levantar contra o Ocidente burguês todas as forças políticas, culturais, psicológicas e psicopáticas da Ásia, da África e da América Latina. Os "condenados da Terra" libertariam da civilização Ocidental o pobre Lukacs por meio do intenso trabalho dos partidos comunistas para arregimentar, treinar e armar a grande "nação islâmica" para a guerra mortal contra o Ocidente. A história é longa para contar em detalhes, mas a leitura do segundo volume de "The Sword and the Shield. The Mitrokhin Archive", de Christopher Andrew e Vassili Mithrokin, recém publicado sob o título "The World Was Going Our Way. The KGB and the Battle for the Third World" (Basic Books, 2005), é um bom começo para compreendê-la.

A invasão física e cultural do Ocidente por hordas de imigrantes ao menos implicitamente solidários com o terrorismo é a bomba de efeito retardado plantada pela estratégia global estalinista. É claro que, nisso, o Islam não teve o papel passivo de massa de manobra. Elites islâmicas versadas tanto nas tradições muçulmanas quanto nas doutrinas ocidentais, especialmente o marxismo, o positivismo (no sentido amplo da palavra), o existencialismo e o estruturalismo-desconstrucionis mo, tinham suas próprias ambições e um plano de longo prazo.

Nos anos 50, um suíço islamizado, Frithjof Schuon, voltou da Argélia, transfigurado por uma longa imersão nas ciências espirituais islâmicas, àquela altura praticamente desconhecidas no Ocidente fora de um reduzido círculo de interessados. Sua promessa ao chegar foi: "Vou islamizar a Europa." Disse e fez. Sem comícios nem bombas. Tornou-se o guia espiritual de eminentes intelectuais, milionários e homens de governo europeus. Almas de elite, que haviam perdido a conexão íntima com o cristianismo, recuperaram um sentido de ordem islamicamente moldado. Não se "converteram" ao Islam, pelo menos exteriormente. Apenas, suas almas foram dissolvidas e recristalizadas no forno da alquimia espiritual islâmica. Discípulo do principal discípulo de Schuon -- o lituano naturalizado britânico Martin Lings – é, por exemplo, o futuro rei da Inglaterra, o príncipe Charles. Só por essa amostra vocês imaginam o poder da coisa. O rombo por onde o Islam invadiu o Ocidente não está em baixo, entre o povão revoltado e estudantes furiosos. Está acima do que o comentário político usual enxerga.

Pode parecer absurdo que altas doutrinas espirituais convirjam com o marxismo, mas a identidade do alvo – a destruição do Ocidente – é patente demais para que a diversidade de inspirações originárias constitua problema. Ademais, inúmeros teóricos marxistas e muçulmanos vêm fazendo há décadas um profundo trabalho de harmonização das duas grandes utopias: o socialismo planetário e o califado global. A orientação mais geral é tomar o islamismo como um coroamento espiritual do socialismo meramente "terrestre".

A visão monstruosamente invertida que Robert Reich apresenta da invasão islâmica – visão hoje compartilhada por quase todos os defensores "modernistas" do Ocidente, é, como a expressão mesma "guerra contra o terrorismo", produto de um pensamento auto-impugnante que toma figuras de linguagem como objetos reais. "Fundamentalismo" é figura de linguagem. "Modernidade" é figura de linguagem. "Fanáticos" é figura de linguagem. "Choque de civilizações" é figura de linguagem. Nenhuma delas usada como utensílio provisório para a investigação da verdade, mas todas como fetiches verbais com que a confusão mental se camufla a si própria, fazendo-se passar por discurso de conhecimento.

 
At 12:40, Anonymous Anónimo said...

http://video.google.com/videoplay?docid=3763564401948441540&hl=en

 
At 22:54, Anonymous RK said...

Cum caralho....o penultimo comment mais parece um testamento...

 
At 07:53, Anonymous Marcos Paulo Cintra said...

Esta é uma página racista e preconceituosa. Prega o ódio e a discórdia entre povos e religiões. Será levada ao conhecimento da Procuradoria-Geral da República e à Comissão Interamericana de Direitos Humanos.

 
At 21:02, Anonymous Anónimo said...

cintra panasca... chegas tarde que esta página há muito que não é actualizada... e já outros tentaram, sem sucesso, as tuas mariquices. ahahahah

 
At 22:17, Anonymous Anónimo said...

"...Esta é uma página racista e preconceituosa. Prega o ódio e a discórdia entre povos e religiões. Será levada ao conhecimento da Procuradoria-Geral da República e à Comissão Interamericana de Direitos Humanos..."

Quer-se referir a um amontoado de ossos e pedras riscados à 1400 anos, não é ?
Só pode !

 
At 20:34, Blogger Lieve said...

Este comentário foi removido pelo autor.

 
At 20:35, Blogger Miguel said...

A inépcia dos lideres europeus colocou a Europa em perigo. E quem paga é sempre a arraia miúda, que o digam em Londres e em Madrid.

 
At 01:10, Anonymous Anónimo said...

O senhor Olavo de Caravalho é mais um adepto dessa histeria em torno do avanço do islamismo na Europa. Isso é uma grande falácia!!!

Soseguem aqueles europeus, principalmente os da península Ibérica e sul da Itália. O Islã já invadiu a Europa uma vez na Idade Média, levando a sua grande cultura, filosofia, medicina, química, poesia, música, culinária e etc. Todos, de certa maneira, estão impregnados da cultura islãmica já faz tempo. Não temam; orgulhem-se!!!!

 
At 16:56, Blogger Catellius said...

Passe lá no meu blog para ler um texto intitulado "A Ressurreição do Socialismo", do Heitor Abranches.
Clique aqui para acessá-lo.

Início do texto:

"...americanos pensavam que a história havia acabado, com a queda do Muro de Berlim e a fragmentação do gigante soviético. Pensavam que o socialismo estava condenado diante da falência do socialismo real. O próprio FHC, um grande ex-pensador marxista, achava que a Globalização Americana seria irresistível e que a tecnologia da informação jogaria a sociedade mundial em uma nova era de crescimento infinito, e de nada adiantava ao Brasil resistir..."

O texto trata desapaixonadamente da decepção da década de 90 com os crashs das bolsas, a "salvação" que veio da China e sua demanda por commodities - o que acabou por fortalecer o socialismo de países como a Venezuela. A substituição do comunista pelo islâmico como o demônio protagonista do choque de civilizações, entre outras coisas.
Abração

 
At 00:25, Blogger Ma tête bouge said...

o problema todo são os
extremismos...

 
At 22:37, Blogger Elise said...

Sliver? O que é feito de ti?

 
At 10:28, Anonymous Anónimo said...

Chora, chora Elise pelo teu amigo sionista Sliver... Depois de tanta maldade, Sliver desaparece sem dizer nada!

 
At 22:08, Anonymous Anónimo said...

Maldade em quê ?

 
At 18:41, Blogger João Moutinho said...

Acabou o apoio ao terrorismo...

 
At 19:55, Anonymous Saladino said...

Este blogue está muito pobre. Eis a minha contribuição para elevar o nível:

1) Mas alguém acredita que se não fosse a Nakba e a ocupação haveria guerra civil (já terminada) na Palestina ? É claro que a culpa é de Israel. Aliás todas a guerras do Médio Oriente desde 1948 são causadas por Israel, directa ou indirectamente, através dos EUA e do seu verdadeiro governo, o lóbi judaico.

Não foi o lacaio Saddam empurrado pela camonada em 1980 a atacar o Irão de Khomeini ? E não foram os dois lados armados pelos EUA para se destruirem mutuamente, isto para que israel possa continuar impunemente a oprimir os palestinianos ? É claro que quando se põem dois irmaõs numa gaiola estreita sem alimentos e privados de qualquer dignidade, mais tarde ou mais cedo eles vão lutar entre si… está nos livros. As lágrimas de crocodilo da neo-coneiragem sionista não disfarçam a sua satisfação pela lutas entre palestinianos que ajudaram a desencadear… basta ver as enormes quantidades de armamento americano e israelita que o Hamas acaba de apreender aos colaboracionistas da Fatah em Gaza…óptimo material, por sinal, obrigadinho, ó Olmert, manda mais…

2) O Hamas é o governo democrático da Palestina: ganhou as eleições de forma limpa e por larga margem. Mas nunca pode exercer o poder devido ao boicote internacional e às rasteiras da Fatah. A guerra civil podia ter-se evitado se Abbas tivesse cedido o controlo das forças de segurança ao governo eleito. Não há nenhum país do mundo onde o governo não controle pelo menos a polícia, que deve ser apartidária e servir qualquer governo eleito. A Fatah partidarizou e monopolizou a polícia. Ultimamente passou mesmo a receber remessas massiças de armamento de Israel e EUA para combater o Hamas. Hoje, essee armamento caiu nas mãos deste… Além disso, em Gaza, algumas forças da Fatah eram verdadeiros covis de corruptos e torcionários que torturavam e matavam membros do Hamas. O inevitável desfecho deu-se… Abbas deve partir (é um corrupto, incompetente e capitulacionista) e serem organizadas novas eleições para a presidência. A ordem e a defesa patriótica da Pátria ocupada vão ser agora uma realidade na Palestina. Os bravos vencem sempre os corruptos. Talvez porque Deus é grande…

3) Há buxeco-sionistas que se esquecem que centenas de observadores internacionais consideraram LIMPAS as eleições que o Hamas ganhou por larga margem.

E que foram os nazi-sionistas que não reconheceram essas eleições democráticas e o governo eleito. Tentaram derrubá-lo pela fome e armando os colaboracionistas da Fatah para derrubarem pela força o governo eleito. A ideia era afastar o povo do Hamas, dizendo-lhe que com ele só teriam fome, mas que se passassem para a fatah… Mas o povo solidarizou-se com os patriotas do Hamas porque estes são incorruptíveis e não se deixam vergar pelo terrorismo dos ocupantes sionistas.

Que isto é puro comportamento antidemocrático parece evidente. Tal como não entregar o controlo da polícia (que devia ser apartidária) ao governo eleito…

O Hamas nada mais fez que impor pelas armas o respeito pelas eleições democráticas dado que ele é o único poder democrático na Palestina.

Em todo o Médio Oriente, quando há eleições VERDADEIRAMENTE DEMOCRÁTICAS, os islamistas ganham por larga vantagem (Palestina, Turquia, Iraque, Irão). Têm o povo consigo, porque não são corruptos, torcionários, fantoches dos EUA e colaboracionistas com os nazi-sionistas ocupantes…. Normal…

Não precisam por isso de ser ditadores como os fantoches dos EUA Mubarak, Abadallah, Musharraf, etc, que têm toda a rua contra eles e só se aguentam (por enquanto) com base nas polícias políticas.

A marcha do mundo árabe para a democracia islâmica é imparável e os terroristas cruzados serão em breve escorraçados de todo esse espaço. Deus é grande…

 
At 18:25, Blogger  said...

Antes de mais parabéns pelo blog!
Continue com o bom trabalho!

Convido-o agora a visitar:

http://aguia-de-ouro.blogspot.com/

Futebol e política num só! Actualizações diárias!

Já agora se quiser adicionar à sua barra de links laterais esteja à vontade para o fazer!

Obrigado!

 
At 22:09, Anonymous Anónimo said...

http://o-lidador.blogspot.com/2007/06/com-olhos-em-gaza.html

 
At 11:17, Anonymous Anónimo said...

el avispero libanés cuesta la vida de seis soldados españoles que viajaban en un vehículo sin inhibidores de frecuencias

 
At 09:40, Anonymous Anónimo said...

Acabó también Máquina Zero

 
At 23:37, Anonymous Wagner Moura said...

No BLOG DAY eu indiquei o seu blog. Confira: http://www.diasimdiatambem.wordpress.com

 
At 16:07, Anonymous Anónimo said...

http://blog.alexandredelvalle.com/archives/206-Intervencion-de-Alexandre-del-Valle-en-el-curso-La-democracia-frente-al-terrorismo.html

 
At 23:33, Anonymous Anónimo said...

vocês são uns idiotas,sofrendo lavagem cerebral de policiais corruptos que recebem dinheiro da organização terrorista,CIA,dos EUA,para espalhar o medo e melhor dominar o mundo,com essa estória articulada pelo demente bush e seus asseclas.
Já analisaram os males do colonialismo,do escravismo,do capitalismo,que serviram para enriquecer os paises,tipo espanha,portugal,inglaterra,itália,estados unidos,até hoje dominados por banditismo e terrorismo de Estado ?

 
At 00:10, Anonymous BRASILEIRO CONTRA O IMPERIALISMO E O ENTREGUISMO said...

OS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA,JUNTAMENTE COM ISRAEL,SÃO ESTADOS TERRORISTAS GOVERNADOS POR ESCROQUES DA PIOR ESPÉCIE,QUE NÃO TÊM NENHUM RESPEITO PELO SER HUMANO.
ESTE NEGÓCIO DE ESPALHAR O MEDO,FALANDO EM LUTA CONTRA O TERRRORISMO, É UMA FORMA DESONESTA DE INTIMIDAR OS MOVIMENTOS SOCIAIS QUE SE OPÕEM AO IMPERIALISMO NO MUNDO INTEIRO.
O INTUITO DOS EUA É DOMINAR OS PAÍSES RICOS EM PETRÓLEO,PEDRAS PRECIOSAS E OUTRAS RIQUEZAS ESTRATÉGICAS PARA A SOBREVIVÊNCIA DO GANANCIOSO GOVERNO E POVO AMERICANO,QUE,DIGA-SE DE PASSAGEM,ALÉM DE ALIENADO,SÓ PENSA NELE E SÃO PRECONCEITUOSOS EM RELAÇÃO AOS TERCEIROMUNDISTAS.
O 11 DE SETEMBRO SERVIU APENAS COMO UMA DESCULPA ESFARRAPADA PARA OCUPAR A ÁSIA CENTRAL E O ORIENTE MÉDIO, CONSTRUIR BASES MILITARES,OLEODUTOS,COLOCAR GOVERNOS FANTOCHES QUE ATENDAM SEUS INTERESSES IMPERIALISTAS,ESPALHANDO UMA HORDA DE DEMÔNIOS ESPIÕES,CRIMINOSOS,DA CIA,DO MOSSAD,DE DELINQUENTES DE EMPRESAS PARTICULARES E OUTRAS MERDAS INDESEJÁVEIS QUE IGUAIS AO DIABO DO INFERNO.

GO HOME YANKEE !

O SIONISMO É A PIOR ESPÉCIE DE TERRORISMO APOIADO PELOS DIABOS LOUROS YANKEE,TRADICIONAIS ASSALTANTES DE DILIGÊNCIAS,DESDE O VELHO OESTE.

 
At 00:48, Anonymous brasileiro,que enxerga said...

Esses comentaristas,editores bloguistas,que ficam falando em terrorismo islamico apoiado por ongs,geralmente são jornalistas,empresários, banqueiros, políticos reacionários e oportunistas,judeus sionistas e outros elementos cooptados pela polícia política DE VÁRIOS PAISES, remunerada corruptamente pela CIA. Deviam se envergonhar desse triste papel de viver mentindo,conspirando e alimentando conflito nas sociedades,onde roubam a melhor fatia do bolo,na qualidade de classe dominante, que vive da exploração e do lucro tirado do suor dos trabalhadores desamparados.

O SIONISMO É A PIOR ESPÉCIE DE TERRORISMO;
GOVERNOS FASCISTAS E CORRUPTOS QUE ILUDEM E GASTAM DINHEIRO DO POVO,APOIANDO GUERRAS E BATENDO CONTINÊNCIA PARA O IMPERIALISMO AMERICANO, TAMBÉM É UMA FORMA DE TERRORISMO.
TERRORISMO É TAMBÉM AGIOTAGEM INTERNA E INTERNACIONAL,COMETIDA POR MELIANTES JUDEUS DE COLARINHO BRANCO,QUE NÃO SE PREOCUPAM COM A MISÉRIA DAS POPULAÇÕES QUE PASSAM FOME NO MUNDO,INCLUSIVE NO CONTINENTE AFRICANO, NA AMÉRICA DO SUL,NOS GHETOS DA AMÉRICA DO NORTE(ONDE TAMBÉM SE COME LIXO),ETC.

TERRORISMO É DOMINAR(CONTROLAR)A MÍDIA INTERNACIONAL, AS EDITORAS DE LIVROS E O CINEMA, PARA INTOLERANTEMENTE DENEGRIR A IMAGEM E A HONRA DE MUÇULMANOS NO MUNDO INTEIRO,COMO ESTÃO FAZENDO OS JUDEUS DE HOLLYWOOD, DE WALL STREET E DE OUTROS BORDÉIS "CULTURAIS" DA AMÉRICA CORROMPIDA.

 
At 01:31, Anonymous Anónimo said...

Brasileiro que enxerga podianir ao oftalmologista..-
Draco

 
At 03:47, Blogger 蘭蘭的 said...

聊天室,jp成人,美女室,85cc免費影片室,777成人,成人文章,嘟嘟成人網室,ut聊天室,色情影片,成人貼圖,免費a片,成人圖片,85st免費影片觀看,85cc成人片觀看室,免費影片觀看,85cc成人片,自拍,a片,a片免費,免費成人,免費影片

 
At 07:08, Blogger 如此的 said...

Birthdays are good for you. The more you have, the longer you live.............................................

 
At 00:20, Anonymous Anónimo said...

Para que se saiba.
Na prática a última coisa que maomé fez no islam foi assassinar o próprio allah.
Disse que o allah não mais falaria e que ficava sem espírito.
Mas antes, e no islam, maomé tirou o filho a allah e castrou-o para que nem descendência pudesse deixar.
maomé também antes, assassinou a familia de allah, os amigos e todas as entidades espirituais boas,anjos, arcanjos, santos e outras.
Pior ainda. No islam as coisas são cada vez piores.
No islam, maomé só deixou satan à solta.
No islam, satan é a única entidade espiritual activa e que sussurra aos maometanos.
Os maometanos eruditos podem confirmar isto.
Dão é depois voltas e mais voltas a justificar.
Prova que o islam é muito hábil a enganar os próprios e a tentar enganar os outros.
Pode-se dizer que isto acontece no mundo imaginário ou simbólico, mas é este mundo que controla o maometismo.
Estas verdades dão uma ideia da intolerância que existe nessa doutrina.
Para maomé um allah vivo ou qualquer entidade espiritual boa viva, seriam os maiores perigos ao seu poder.
Nem o próprio allah maometano podia escapar com vida às suas mãos.
Só fora do islam o bem(bom-senso/razão) e o Bom Deus podem existir, estarem vivos e manifestarem-se no mundo e nas pessoas.

 
At 17:12, Blogger Mats said...

Por andas, pá?

 
At 21:41, Blogger Zohreh said...

Oras, Espanha, França e Reino Unido contam com grandes comunidades islâmicas porque o império colonizador frances dominou 23 nações islâmicas na África e vendia os berberes como escravo ou no método de escambo.

Todos os muçulmanos europeus não são convertidos, são cidadãos das colônias francesas que Kadaffi libertou. São franceses, mandá-los p/ a França é a medida correta.

 
At 05:12, Anonymous jual kebun sengon said...

Mampir nich ...
menarik sekali blog anda, dan saya sangat suka..
Salam....
oh ya ada sedikit info nich tentang jasa ekspedisi . Semoga bermanfaat...

 
At 10:32, Blogger I. B. said...

Porque é que acabou este blog??? Que pena!!! :-(

 

Enviar um comentário

<< Home