Observatório da Jihad


1.10.06

A prova dos Nobel

O grande intelectual muçulmano Adamgi já tinha alertado* para o défice educacional dos muçulmanos. Mas o panorama é pior do que se imagina. Bastava que ensinassem menos ódio e mais ciência nas escolas e o seguinte quadro comparativo dos Prémio Nobel da comunidade muçulmana com os da comunidade judaica seria bem diferente. Se a lista tiver erros ou omissões peço que os assinalem
A população muçulmana está estimada em 1.200.000.000 pessoas, isto é, cerca de 20% da população mundial. Receberam o Prémio Nobel, os seguintes:

Literatura: 1988 - Najib Mahfooz
Paz: 1978 - Mohamed Anwar El-Sadat; 1994 - Yaser Arafat
Física: 1990 - Elias James Corey; 1999 - Ahmed Zewail
Medicina: 1960 - Peter Brian Medawar; 1998 - Ferid Mourad

A população judaica está estimada em 14.000.000 de pessoas, isto é, cerca de 0,02% da população mundial. Receberam o Prémio Nobel, os seguintes:

Literatura: 1910 - Paul Heyse; 1927 - Henri Bergson; 1958 - Boris Pasternak; 1966 - Shmuel Yosef Agnon; 1966 - Nelly Sachs; 1976 - Saul Bellow; 1978 - Isaac Bashevis Singer; 1981 - Elias Canetti; 1987 - Joseph Brodsky; 1991 - Nadine Gordimer World
Paz: 1911 - Alfred Fried; 1911 - Tobias Michael Carel Asser; 1968 - Rene Cassin; 1973 - Henry Kissinger; 1978 - Menachem Begin; 1986 - Elie Wiesel; 1994 - Shimon Peres; 1994 - Yitzhak Rabin
Física: 1905 - Adolph Von Baeyer; 1906 - Henri Moissan; 1907 - Albert Abraham Michelson; 1908 - Gabriel Lippmann; 1910 - Otto Wallach; 1915 - Richard Willstaetter; 1918 - Fritz Haber; 1921 - Albert Einstein; 1922 - Niels Bohr; 1925 - James Franck; 1925 - Gustav Hertz; 1943 - Gustav Stern; 1943 - George Charles de Hevesy; 1944 - Isidor Issac Rabi; 1952 - Felix Bloch; 1954 - Max Born; 1958 - Igor Tamm; 1959 - Emilio Segre; 1960 - Donald A. Glaser; 1961 - Robert Hofstadter; 1961 - Melvin Calvin; 1962 - Lev Davidovich Landau; 1962 - Max Ferdinand Perutz; 1965 - Richard Phillips Feynman; 1965 - Julian Schwinger; 1969 - Murray Gell-Mann; 1971 - Dennis Gabor; 1972 - William Howard Stein; 1973 - Brian David Josephson; 1975 - Benjamin Mottleson; 1976 - Burton Richter; 1977 - Ilya Prigogine; 1978 - Arno Allan Penzias; 1978 - Peter L Kapitza; 1979 - Stephen Weinberg; 1979 - Sheldon Glashow; 1979 - Herbert Charle s Brown; 1980 - Paul Berg: 1980 - Walter Gilbert; 1981 - Roald Hoffmann; 1982 - Aaron Klug; 1985 - Albert A. Hauptman; 1985 - Jerome Karle; 1986 - Dudley R. Herschbach; 1988 - Robert Huber; 1988 - Leon Lederman; 1988 - Melvin Schwartz; 1988 - Jack Steinberger; 1989 - Sidney Altman; 1990 - Jerome Friedman; 1992 - Rudolph Marcus; 1995 - Martin Perl; 2000 - Alan J. Heeger
Economia: 1970 - Paul Anthony Samuelson; 1971 - Simon Kuznets; 1972 - Kenneth Joseph Arrow; 1975 - Leonid Kantorovich; 1976 - Milton Friedman; 1978 - Herbert A. Simon; 1980 - Lawrence Robert Klein; 1985 - Franco Modigliani; 1987 - Robert M. Solow; 1990 - Harry Markowitz; 1990 - Merton Miller; 1992 - Gary Becker; 1993 - Robert Fogel
Medicina: 1908 - Elie Metchnikoff; 1908 - Paul Erlich; 1914 - Robert Barany; 1922 - Otto Meyerhof; 1930 - Karl Landsteiner; 1931 - Otto Warburg; 1936 - Otto Loewi; 1944 - Joseph Erlanger; 1944 - Herbert Spencer Gasser; 1945 - Ernst Boris Chain; 1946 - Hermann Joseph Muller; 1950 - Tadeus Reichstein; 1952 - Selman Abraham Waksman; 1953 - Hans Krebs; 1953 - Fritz Albert Lipmann; 1958 - Joshua Lederberg; 1959 - Art hur Ko rnberg; 1964 - Konrad Bloch; 1965 - Francois Jacob; 1965 - Andre Lwoff; 1967 - George Wald; 1968 - Marshall W. Nirenberg; 1969 - Salvador Luria; 1970 - Julius Axelrod; 1970 - Sir Bernard Katz; 1972 - Gerald Maurice Edelman; 1975 - Howard Martin Temin; 1976 - Baruch S. Blumberg; 1977 - Roselyn Sussman Yalow; 1978 - Daniel Nathans; 1980 - Baruj Benacerraf; 1984 - Cesar Milstein; 1985 - Michael Stuart Brown; 1985 - Joseph L. Goldstein; 1986 - Stanley Cohen (& Rita Levi-Montalcini); 1988 - Gertrude Elion; 1989 - Harold Varmus; 1991 - Erwin Neher; 1991 - Bert Sakmann; 1993 - Richard J. Roberts; 1993 - Phillip Sharp; 1994 - Alfred Gilman 1995 - Edward B. Lewis

Qualquer coisa de muito grave e fundamental se passa na religião muçulmana. É preciso tomar precauções.

* http://www.myciw.org/modules.php?name=Forums&file=viewtopic&p=6755#6755

22 Comments:

At 20:58, Blogger Borges said...

falta o Harold Pinter no nobel da literatura!

 
At 14:40, Anonymous Anónimo said...

Pinter, el "amigo" de Tony Blair.....

 
At 16:03, Blogger Rui Geraldes said...

Pois, mas isso explica- se com o famoso lobby Judeu, que está em todo o lado e controla tudo...
Para já o Islão só influencia o que quer que seja à bomba, o que não é o mesmo, mas pelo vistos pode começar a dar resultados.

 
At 17:28, Anonymous Anónimo said...

Claro, esse Nobel nunca enganou ninguém! Um sionista de primeira apanha! Aliás, o rei da Suécia é outro! Uma autêntica cabala!

 
At 20:00, Anonymous Anónimo said...

Don Camilo José Cela, amigo de Israel

 
At 23:00, Anonymous Neutro said...

100 x mais muçulmanos
10 x mais nobeis judeus
dá 10x100=1000x mais
Quer dizer que o rendimento cientifico dos judeus é 1000 vezes superior ao dos muçulmanos.
Totalmente surpreendido.
Nunca tal houvera imaginado.
Uma explicação. No judaismo existe alguma cultura de critica e de auto-critica. Os judeus ganharam nobeis, não por defenderem o judaismo, mas pela atitude critico-científica descobrirem novas coisas. O judaismo não quer converter tudo e todos nem se acha a única e verdadeira religião. Assim se compreende a atitude dos judeus em descobrirem coisas novas.
Já o mesmo não acontece com os cristãos e muito menos com os muçulmanos. Com aquela ideia de que o corão é tudo e que nada mais há de importante, bloquearam e bloqueiam a criatividade humana.
Depois fazem guerras internas e externas para alimentarem a ideia de que são sagrados e superiores e criam paranoias de toda a espécie para justificarem o atraso tecnico-cientifico das respectivas sociedades islamizadas.
E ainda dizem que o corão fala de ciência. Vai lá vai :-)
Se realmente o corão fala de ciência, então esse livro é um verdadeiro e autêntico insulto a Alá, ou a prova de que maomé não ditou bem, ou um insulto à inteligência de quem o lê e estuda.
Se souberem disto, aquela gente ainda um dia deste se põe ou a queimar corões, ou a cortar a cabeça ao mafoma ou a insultar Alá.
Têm jeito para essas coisas.

 
At 14:03, Blogger Marco said...

Shirin Ebadi, Prémio Nobel da Paz, 2003

 
At 15:07, Blogger al cardoso said...

Ja na idade media havia uma maxima judaica que dizia: "Toda a cidade onde nao haja instrucao e cultura e uma cidade morta" (mais ou menos isto)
Felizmente os judeus tem posto esta maxima em efeito, e o mundo so tem lucrado com isto, talvez por isso sao tao invejados e odiados.

Saudacoes da Beira "judaica"

 
At 21:54, Anonymous Anónimo said...

E alguns Nobel mussulmanos foram vítimas de fatwas dos seus próprios «irmãos radicais» (ex. Naguib Mhafouz).

 
At 09:43, Anonymous pataphisico_azul said...

Talvez o nosso amigo rui geraldes nos possa indicar alguns muçulmanos que injustamente não ganharam Nobeis: famosos cientistas, da grande Faculdade de Física de Meca, economistas que fizeram o mundo avançar, ou políticos que mereciam o Nobel da paz e não o ganharam muito injustamente, como o Nasralah ou o al-Zarqawi.

 
At 18:43, Anonymous Anónimo said...

Neutro
Este tópico também merece destaque neste blogue.

 
At 11:28, Anonymous Anónimo said...

Muito bem Sliver! Diga-me quantos chineses e indianos estão na lista dos vencedores do prémio Nobel? Quantos portugueses e espanhóis são vencedores do prémio Nobel?

O que você foi encontrar na Net é totalmente irreflectido. Demonstra xenofobismo e racismo dos judeus. Os judeus por serem vencedores de prémios Nobel não são nada superiores aos gentios. Eles ganham prémios Nobel porque dedicam-se à investigação e estão apoiados por grandes suportes financieiros e nos estão nos locais de investigação de ponta.

Os prémios Nobel atribuidos aos judeus demonstra a dominação que eles têm do mundo. Eles estão no mundo académico, na economia, na política (controlando efectivamente os EUA simplesmente a mior potência mundial que consomem 25% dos recuros mundiais).

 
At 15:48, Blogger Sliver said...

Claro, a grande conspiração judaica para dominar o mundo e a paranóia de quem a credita nisso. Faça um blogue sobre isso. Não se cura mas pelo menos anda distraído.

 
At 09:23, Anonymous Anónimo said...

Já agora àparte de um só caso específico mostre-me quantos prémios Nobel de Paz foram atribuídos a judeus?

Os portugueses e os povos de expressão portuguesa que são mais do que os judeus quantos prémios Nobel já conseguiram obtêr? Será que les são todos idiotas?

 
At 12:30, Anonymous Katrine said...

Hahaha, qualquer pessoa lúcida e bem exclarecida percebe que O prêmio Nobel é uma grande farsa, que serve apenas para a auto afirmação dos judeus assim como o Oscar. A pessoa não ganha o prêmio nobel por ser melhor, mas sim por ser escolhida. Quantos ótimos filmes não ganham nenhum oscar, enquanto filmes bem inferiores ganham vários... o mesmo acontece com o também sionista Prêmio Nobel. E não esqueçam que as grandes pesquisas e descobertas não são realizadas individulamente, mas sim em grupo, contudo apenas um, no máximo dois nomes se destacam.
Os judeus possuem mais chances de ganhar o prêmio Nobel, porque atualmente eles é que estão no comando dessa farsa, ou melhor... festa, e o mais idiota é ver gente que acredita, e ainda fica colando em seu site, como se fosse alguma coisa fora do normal.

 
At 20:38, Anonymous Anónimo said...

Bem, talvez os prêmio nobeis não dizem nada , mas a qualidade de ensino de israel , os níveis sócio-econômicos , a alfabetição , o avanço tecnológico , a arte , os adventos discobertos por estes cientistas e o nível de vida em israel superior á todos os países árabes mostram uma esmagadora supremacia judaica em relação aos muçulmanos. Se eles pensassem um pouco mais desejariam se aliar á Israel para juntos trabalharem por um mundo e um oriente melhor , porém as guerras árabe-israelense , dos seis dias e a do yom kippur mais provaram que mesmo Israel estando em desvantagem estratégica , numérica e territorial mostrou sempre sua supremacia.!

 
At 19:06, Anonymous Anónimo said...

Fico impressionada com pessoas sem cultura alguma fazerem comentários simplesmente SEM COMENTÁRIOS...
Adorei a conspiração Judaica para dominar o mundo...gente, isso é fruto de pessoas que não tem capacidade intelectual nem pra limpar banheiro que fica menosprezando o sucesso dos outros...
A verdade é: Um povo que SEMPRE FOI PERSEGUIDO, ASSASSINADO, ROUBADO (pela "Santa" Inquisição e Holocausto) conseguir se erguer das cinzas..VAMOS TIRAR O CHAPÉU!!!!
Mesmo com todas as barbáries que sofreram de outras "religiões" ainda assim amam um único Deus, mesmo quando foram, por tantas vezes, mortos por causa disso...
INVEJA MATA!!!! não quem é o invejo, mas faz o invejo matar as pessoas...
O Estado de Israel é um exemplo a ser seguido por todos os demais países...É UM TAPA NA CARA DAQUELES QUE SE DIZEM DEMOCRÁTICOS COMO O BRASIL, MAS NÃO TEM AMOR AO PRÓXIMO...
Se nós católicos e evangélicos seguíssemos os ensinamentos judaicos de amar ao próximo não teríamos tanta miséria..esse é o segredo deles...APRENDAM IDIOTAS!!!!

 
At 11:07, Anonymous Anónimo said...

Todos esses judeus com Prêmio Nobel, não passam de Analfabetos Asiaticos e são uma Merda que não valem nenhum prêmio! Como bandidos e assassinos como Menahem Begin, Henry Kissinger e o excroque holocaustico Elie Wiesel vão receber Nobel da Paz, eles fizeram paz entre quem, entre arabes e judeus, entre vietnamitas e americanos, entre iraquanos e americanos etc. paz entre quem?! Tudo papo furado e analfabetismo da "cultura" merdeira judaica!

 
At 14:43, Anonymous White Rabbit said...

Muita coisa precisa ser considerada. O criador do prêmio Nobel, "Alfred Nobel" tem no museu do Holocausto em Berlim, um cartão, afirmando que Alfred Nobel era de ascendência judaica. Por aí podemos começar a pensar como funciona.

Concordo com o amigo que citou o Oscar, como comparação. A indústria de Hollywood é comprovadamente comandada por judeus sionistas. Se você pesquisar por algumas das atrizes mais famosas da atualidade, como Natalie Portman e Scarlett Johansson, verão que são judias. Elas tem talento, claro, mas estão lá por seres escolhidas. Todos os povos do mundo possuem beleza e talento, mas nos Estados Unidos há sim um privilégio tanto na indústria cultural, como em sociedades como a Maçonaria, que gosta de ter judeus que já tem algum conhecimento da Cabala. É fato. Volta e meia você vê notícias bobas, como: "Inteiro de branco, Ashton Kutcher vai a centro de cabala". Claro que o verdadeiro judaísmo bíblico não se mistura com isso, mas é só um exemplo. Cito esse tipo de coisa porque em "Israel" a Maçonaria Internacional tem muito poder também. Voltemos ao Nobel.

Assim como em diversas premiações, o Nobel também valoriza quem de alguma forma enaltece o sistema sionista, apoiado pelas Nações Unidas (ONU). Quem faz pesquisas diferentes ou que vai contra esse sistema é simplesmente acusado de ser contra o desenvolvimento e aí, não leva prêmio algum. Por isso, o Islã e algumas alas cristãs, que não aceitam a babilonização do mundo, acabam sendo marcados como atrasados. Mas não se trata disso.

Também não acuso os judeus de conspiração para dominar o mundo. Os verdadeiros judeus não fazem esse tipo de coisa, porque seguem a Bíblia. Os falsos judeus sim, esses são capazes de tudo. Os verdadeiros judeus só querem viver em paz. Os falsos judeus (sionistas globalistas) querem ser vitimizados para sempre pelo Holocausto e criar premiações e receber premiações, por simplesmente estarem alinhados com o próprio sistema que ajudam a gerir.

Não se trata apenas de judeus de "Israel". Nos Estados Unidos há 7 milhões de judeus e no Reino Unido, aproximadamente 1 milhão. A outra metade, está em "Israel". Os principais banqueiros ingleses são judeus sionistas, como vocês podem comprovar pesquisando pela família Rothschild, da Inglaterra.

De novo, afirmo, há judeus verdadeiros e sérios, mas infelizmente, e isso digo com muito pesar, há uma elite sionista que usa o Holocausto para colocar seus planos em ação. Eles não parecem querer superar o acontecido. Preferem reviver sempre, não só para que não se esqueçam, mas para que os outros não esqueçam e eles, esses falsos judeus que infelizmente estão no topo do governo israelenses, possam deitar e rolar, e junto com os sionistas americanos e ingleses, invadirem os países do Oriente Médio, que vão contra sua Nova Ordem econômica.

Se os sionistas fossem tão inteligentes e fossem como os verdadeiros judeus, não teriam permitido que seu governo obtivesse 300 ogivas nucleares e saísse por aí acusando Irã de ser uma ameaça à paz mundial.

Israel, EUA e UK, por causa de seus governos, são uma coisa só. Não se enganem, eles trabalham juntos.

O Nobel é só uma parte disso.

 
At 14:52, Anonymous White Rabbit said...

O que mais me surpreende é um povo que se diz tão inteligente, estar preocupado com premiações. A verdadeira sabedoria nunca precisou e nunca vai precisar de um prêmio. Principalmente quem acredita em Deus, deveria saber disso. Se prefere recompensa diante dos homens, você terá sua parte, mas Deus dá uma recompensa muito maior, que nada tem a ver com as leis e a arrogância dos homens.

Chega a ser contraditório e constrangedor ver judeus mostrando que "judeus" tem mais prêmios do que árabes, como se isso fossem um mero jogo de videogame em que uma criança fica dizendo que tem mais pontos. Isso nada tem a ver com sabedoria.

Além do mais, é difícil dar qualquer credibilidade à uma premiação que entrega um prêmio para Al Gore. Façam-me o favor.

 
At 04:23, Anonymous joaquim said...

Quando o Senhor Jesus (O judeu) disse a mulher samaritana que a salvação viria dos judeus, afirmou prioritariamente que Nele estava a salvação, e como extensão da absoluta verdade contida no Senhor, as demais criatura se beneficiariam com os feitos dos seus, a saber dos judeus. Entre outras coisas,nossas crianças estão imunes da paralisia infantil, graças ao Eterno e ao Sr. Sabin, se corações são transplantados, graças ao Eterno e ao Sr. Barnard, se o rumo da 1 guerra foram decisivamente mudados graças ao Eterno que tinha planos de liberação do território de Israel do jugo Otomano e ao Sr. Weitzman, de igual modo a 2 guerra, graças ao Eterno que tensionava congregar os dispersos de todas as nações na terra ofertada a Abrão, Isaque e Jaco, entre o rio Eufrates ao ribeiro do Egito; do rio Jordão ao Mediterrâneo graças ao Eterno e ao Sr. Nobel.

Os denominados cristãos, crente ou evangélico, dotados gratuitamente de inteligencia espiritual se identifica com Rute, uma moabita, que professou a sua sogra Noemi, uma judia: "seu povo é o meu povo, o seu Deus é o meu Deus"

Hó, Israel, quem é como tu?

Joaquim

 
At 19:06, Blogger Zé Pitaco said...

De todos esses judeus que receberam Prémio Nobel, duvido que tem mais do que 2-3 que merecem os outros são analfabetos funcionais e "vitimas do holocau$to"! Que mais merda você quer para dar Prémio Nobel para Henry Kissinger, Elie Wisel, Itzak Shamir e outras nulidades judaicas sionistas!

 

Enviar um comentário

<< Home