Observatório da Jihad


7.8.06

Não percebo porque não se juntaram

Depois dos antisemitas de extrema-esquerda, temos os de extrema-direita. Ambos no mesmo local, apregoando as mesmas mentiras: pela paz, contra a guerra, contra o sionismo... até o nome dos sites é parecido (resistir/resistente).

adenda: O Sec-Geral do PNR também esteve na manifestação dos comunistas. Nada como Israel para estabelecer o pluralismo e a democracia nesta gente.

Ficam na história como os novos «collabos» do totalitarismo islâmico. Nada a que não estejam habituados.

adenda2: Alguém quer apostar em como será a primeira manifestação em que não chamarão fascista e nazi ao Estado de Israel?

5 Comments:

At 23:20, Anonymous Luís said...

Uma diferença: enquanto que a extrema-esquerda é naturalmente filo-islâmica, a extrema-direita só o é quando se trata de ir contra algo maior (leia-se judeus). Inimigo do meu inimigo meu amigo é...

 
At 09:49, Blogger Sliver said...

Depende da família de direita. No caso dos nazis e seus sucedâneos actuais existiu sempre um filo-islamismo. Vária literatura disponivel - incluindo de apologistas do III Reich - o confirma.

 
At 18:49, Anonymous Luís said...

Mas esse filo-islamismo dos nazis e grupos semelhantes tem outra razão de ser que não um ódio maior aos judeus?
Veja-se a aliança do Grão-Mufti de Jerusalém com Hitler - parece-me puramente estratégica.

A Front National francesa (semelhante ao PNR em ideias) é fortemente anti-Islão, mas ao mesmo tempo também diz que o Holocausto nunca aconteceu e o Sr. Le Pen foi até condenado por um tribunal por declarações anti-semitas.
Gostava de saber a posição deles sobre o actual conflito...

 
At 18:59, Anonymous Luís said...

Já agora, também não vejo nenhuma razão evidente para o filo-islamismo da extrema-esquerda além do seu ódio ao Ocidente em geral, aos Estados Unidos e a Israel.
É que grupos como o Hizbullah ("Partido de Deus") ou o Hamas têm ideias diametralmente opostas às do PCP ou BE.
Pretendem criar estados islâmicos teocráticos, sem democracia, liberdade de expressão, direitos das mulheres, etc.
Será que a legalização do aborto, da marijuana e do casamento homossexual está na agenda do Hizbullah?
Se fosse por cá certamente que o Louçã já os tinha apelidado de fascistas...

 
At 23:45, Blogger Virus said...

Aqui vai um cliché mas

Os extremos tocam-se...até na estupidez!

 

Enviar um comentário

<< Home